Salvador: prefeitura quer zerar fila de consultas e exames em 90 dias

Foto: Valter Pontes

A Prefeitura fará, nos próximos 90 dias, um esforço para zerar a fila de espera de várias consultas e exames de média e alta complexidade na cidade que se acumularam em função do curso da pandemia do novo coronavírus. A demanda será absorvida através de chamada pública de caráter temporário e exclusivo, com regime diferenciado de prestação de serviço (incluindo finais de semana e atendimento noturno), contemplando tanto prestadores de serviço já contratados pelo município quanto novos.  

“Serão realizados cerca de 280 mil procedimentos em 90 dias. Será uma grande oferta de consultas e exames por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que identificou, através de sistemas de informações oficiais, as demandas mais prementes do cidadão que busca atendimento nas unidades da Prefeitura”, disse o prefeito ACM Neto hoje (28), durante a assinatura da ordem de serviço para o início das obras do Morar Melhor em Jaguaripe, na região de Cajazeiras. 

No total, serão oferecidas 156.168 consultas em 41 especialidades, além de 117.173 exames de média complexidade (em 20 especialidades) e 6.975 de alta complexidade (30 especialidades). O investimento do município na iniciativa, por meio da SMS, será de pouco mais de R$6 milhões. 

Espera – Em relação às consultas para adultos, a fila de espera é maior para oftalmologista (18 mil pessoas aguardando atendimento), cardiologista (15,3 mil), otorrinolaringologista (15 mil), neurologista (11,8 mil) e urologista (11,1 mil). 

No caso das consultas na área de pediatria, as especialidades mais demandadas são as de neurologia (980 pessoas aguardando), oftalmologia (965), otorrino (823), cirurgia (840), ortopedia e traumatologia (615).  

Os exames de média complexidade que provocaram fila no sistema por pessoas em busca de atendimento são os diversos tipos de ultrassonografia (transvaginal, mamária bilateral, abdômen total e tireóide, por exemplo), totalizando quase 100 mil registros. Somente para zerar a fila das ultrassonografias, o investimento do município será de R$2,7 milhões, a maior soma entre todos os procedimentos. Há fila ainda para outros exames de média complexidade, a exemplo da ecocardiografia transtorácica.

Já em relação aos exames de alta complexidade, a fila é composta por pessoas que buscam 13 tipos diferentes de ressonância magnética, a exemplo do crânio e coração, e 12 de tomografia, como tórax e abdômen superior. Há ainda pacientes que precisam de biópsia da mama ou próstata, eletroneuromiograma, cintilografia óssea e polissonografia.

Fonte: Informe Baiano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *